domingo, 19 de julho de 2009

Paulinho da Viola e da Mangueira!! Da mangueira???



Dizem que quando o samba bate, você não sente dor, ainda mais quando se trata de um dos maiores compositores de nosso samba e da música popular brasileira, ninguém menos que Paulo César Batista Faria, nosso Paulinho da Viola. No ano de 1967 A Verde e Rosa seduziu o Presidente da Ala de Compositores da Portela, o qual musicou a belissima poesia de Hermínio Bello de Carvalho, inspirada na paródia de uma música anterior de Enéas Brittes da Silava e Aloísio Augusto da Costa a qual recebeu o nome de "Sei lá Mangueira". João Máximo no perfil que escreveu de Paulinho da Viola para a coleção Perfis do Rio narra o fato: "Certa tarde, indo ao apartamento de Hermínio Bello de Carvalho, viu sobre a mesa uma letra que o parceiro pensava em usar num show, tão logo fosse musicada. Paulinho da Viola pediu para tentar trabalhar uma melodia em cima daqueles versos. (...) Enfim, uma declaração de amor de Hermínio à Estação Primeira, sua escola. Paulinho da Viola musicou-a, e bem, gravando-a num fita que passou ao parceiro. Ficou surpreso – e, mais do que isso, preocupado – quando soube que Hermínio não usaria num show, mas naquele festival em que Elza Soares defendeu-a bravamente. Tinha só um pensamento: “O que vai dizer o pessoal da Portela?” Ele, presidente da ala dos compositores, tecendo loas à Mangueira, seria no mínimo uma traição". O resultado desta história como alguns já devem conhecer foi a famosa canção "Sei Lá, Mangueira" no vídeo abaixo interpretada por nínguem menos que Beth Carvalho acompanhada pela minha saudosa Velha Guarda da Mangueira. Porém a história não para por aí......

Aturdido, Paulinho da Viola se mostrou preocupado, triste e as vezes até calado, afinal este episódio fez com que muitos portelenses questionassem seu amor, que para ele é incondicional, pela sua escola querida , a Portela. No ano de 1969 na Feira Internacional da TV Tupi, Paulinho lançou o que seria sua declaração máxima de amor aquela que sempre o impulsionou, compondo sozinho aquela que até hoje é a declaração máxima de respeito a Portela; a música "Foi um rio que passou em minha vida" (abaixo cantada por Paulinho da Viola, Velha Guarda da Portela e muitos convidados ilustres ). Foi um rio que passou em minha vida além de estourar nas rádios, fez com que o talento de Paulinho fosse reconhecido nacionalmente, findando toda dúvida relativa ao amor e respeito que este portelense tem por sua escola. Histórias do tempo que cantar e compôr era mais que cantar e compôr. por fábio
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!