quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Martinho da Vila: Sargento ou Comunista?

Os anos 70, como diria o próprio Martinho da Vila, "foi uma barra". De um lado o poder militar da ditadura, do outro os "comunistas" que lutavam por liberdade de expressão e igualdade. Para complicar no meio de todo este clima um sargento-escrevente, datilógrafo e contador no Ministério da Guerra chamado Martinho José Ferreira reolveu virar um sambista famoso. Martinho deixou o serviço militar que servira por 13 anos, para se dedicar ao samba e suas composições, e mesmo sendo conhecido por ser frequentador nas rodas do Teatro Opinião, muitos ainda insistiam em chamá-lo de "Sargento", história que ele conta com seu típico bom humor na entrevista feita por Diogo Nogueira, afinal como o próprio Martinho costumeiramente afirma: "Vida de sambista não é mole não". Histórias de um tempo onde fazer musica era um pouco mais que fazer música. por Fábio

Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!