sexta-feira, 6 de agosto de 2010

E deu Ecos : Geraldão e sua "Tristeza de Sambista"


Geraldo filme sempre destacava, a exemplo de vários outros sambistas paulistanos, a importância de exaltar suas raízes sambistas. E era na rua que se aprendia a fazer música, em meio as alegrias e tragédias de sua gente. Já que os próximos meses são de nosso homenageado, e suas músicas deram Ecos, porque não falar de uma letra carregada a muita crítica social? A música abaixo fala de carnaval, mas suas letras e versos retratam também o cotidiano da gente sofrida, que existia na capital paulistana lutando contra adversidades afinal "Felicidade hoje é fantasia e o povo canta mesmo sem saber que a favela virou poesia na boca de quem nunca soube o que é sofrer"
Tristeza do SambistaGeraldo Filme
Felicidade hoje é fantasia
e o povo canta mesmo sem saber
que a favela virou poesia
na boca de quem nunca soube o que é sofrer

Quando sopra o vento
no mês de Fevereiro
a nega me pergunta "o que fazer?"
O Zinco tremulando é um pesadelo
só rezo e peço a Deus para nos proteger

Felicidade hoje é fantasia
e o povo canta mesmo sem saber
que a favela virou poesia
na boca de quem nunca soube o que é sofrer





Todos cantam todos falam
mas esquecem o principal
a tristeza do sambista
é não ter no carnaval
Sua própria fantasia
e um barraco em condição
para não ver a realidade
no desfile da ilusão

Felicidade hoje é fantasia
e o povo canta mesmo sem saber
que a favela virou poesia
na boca de quem nunca soube o que é sofrer
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!