sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Paulo Cesar Pinheiro




No próximo dia 09 de novembro o Projeto 14 Sambas estará homenageando o cantor e compositor
Paulo César Francisco Pinheiro que nasceu em Ramos, no Rio de Janeiro, em 28 de Abril de 1949. Quando criança viveu boa parte de sua vida em Angra dos Reis, na casa do avô pescador, que sempre o levava para ver o mar.
Numa temporada de férias escolares, na casa do de lua cheia, já agoniado com o lugar, fez seu primeiro verso instintivamente. Daquela noite em diante, tornou-se o autor com maior número de composições registradas no mundo, cerca de 800 e outras 1500 inéditas, sendo este um número estimado, pois continua em plena atividade. Paulinho Pinheiro é ainda autor de quatro livros e mais alguns outros guardados na gaveta. De mau aluno de português e burlador de aula de redação, tornou-se, ainda na infância, freqüentador assíduo de bibliotecas e leitor voraz de livros, mesmo sem ter algum conhecimento em literatura, lia dos filósofos gregos aos romances regionais brasileiros. A música nasceu dentro de tudo isso e também sem explicação. Paulo Cesar é compositor de cinco gerações, mais de 100 parcerias, onde se destacam Pixinguinha, Baden Powell, Tom Jobim, Edu Lobo, Dori Caymmi, Sivuca, Radamés Gnatalli, Eduardo Gudin, João Nogueira, Mauro Duarte, Maurício Tapajós, Guinga, Raphael Rabello, Pedro Amorim, Moacyr Luz, Lenine e tantos outros. Começou a compor com 13 anos de idade e aos 15 anos escreveu Viagem, com seu vizinho João de Aquino, primo de Baden Powell do qual logo também virou parceiro com mais de 70 composições. Suas canções foram consagradas por divas como Elis Regina, Elizeth Cardoso e Clara Nunes, com quem foi casado. Paulo Cesar Pinheiro se dá o luxo de poder sair nas ruas sem ser notado. E talvez este anonimato seja o responsável por manter, até então, a pureza e singularidade de toda sua obra. Paulo C Pinheiro traz em suas letras as riquezas de nossa cultura, seja na autenticidade poética, seja na beleza rítmica e harmônica, tanto em seus sambas de lamento, pois como ninguém descreve o amor e suas facetas, quanto em seus sambas com teor social pela sua intelectualidade crítica e profunda conhecedora das raízes, das tradições, dos cancioneiros, dos ritos e mitos brasileiros. Paulo César Pinheiro é poeta, letrista, escritor e acima de tudo, apaixonado pelo Brasil. O Projeto 14 Sambas Quilombola tem o prazer de apresentar uma minúscula partícula de sua vasta obra. Aqui em nosso blog você poderá ouvir algumas músicas que serão exibidas no Projeto do dia 09 de novembro na Sociedade Beneficente 13 de maio em Piracicaba -SP. por Denis
Abaixo um vídeo onde Paulo Cesar explica a criação da música Portela na avenida
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!