sábado, 20 de junho de 2009

DO TEMPO QUE MESTRE SALA USAVA NAVALHA E A ARMADURA ERA UMA CAMISA DE SEDA



Atualmente na "indústria" carnavalesca muitos Mestres Salas e Portas Bandeiras são contratados para "defender" a bandeira da escola onde o vínculo com a agremiação, vale tanto quanto o valor real da tinta de caneta usada para assinar o contrato de prestação de "serviços" para a agremiação. Porém deixando de lado a analogia comparativa do novo e velho carnaval, nos apeguemos a história e voltemos aos anos 30, onde nas disputas entre as escolas de samba, conhecidos na época como ranchos, os Mestres Salas eram literalmente os defensores do estandarte da escola. O baliza, hoje Mestre Sala, armado com uma navalha trajando roupas de cetim ou seda, vestimenta que evitava possíveis cortes de navalha, tinha a responsabilidade de defender sua companheira e o estandarte por ela carregado, pois neste período, era constante o risco delas serem arrebatadas por componentes de outros grupos desfilantes rivais. Alguns buscavam a origem da dança dos mestres-salas no gingado dos capoeiras, escondendo também em seus tradicionais leques uma afiada navalha a qual auxiliava na proteção do estandarte. No tempo dos ranchos, início do século, os homens eram quem carregavam os estandartes, motivo o qual alguns pesquisadores curiosamente apontam que a primeira Porta Bandeira das escolas de samba oficiais foi um homem, atribuindo tal pioneirismo ao sambista Ubaldo da Portela. Também pesquisadores como J. Efegê, considerado o maior cronista de todos os tempos do carnaval carioca, e Hiram Araújo, maior autoridade sobre história das escolas de samba, destacam em seus estudos que um dos mais famosos mestres-salas, ou balizas, dos antigos ranchos chamava-se Maria Adamastor, uma mulher. Com os primeiros concursos estes lugares começaram a ser melhor definidos; elas carregando os estandartes e eles cortejando-as com elegância e postura. O julgamento do Mestre Sala e Porta Bandeira passou a valer a partir de 1938, sendo considerado apenas a fantasia. A dança só começou a ser julgada em 1958 e o quesito Mestre Sala e Porta Bandeira é um dos principais elementos para a conquista do título da escola. Hoje existem escolas de Mestre Salas e Porta Bandeiras, os quais através de seus grandes mestres, buscam desenvolver talentos, mantendo viva a elegância do carnaval e o amor à escola simbolizado através de seu estandarte. Abaixo um vídeo destacando a importância deste aprendizado nos desfiles das escolas de samba onde vemos Mestre Delegado uma das maiores lendas carnavalescas na função de Mestre Sala do carnaval carioca, o qual possui 85 anos de Mangeira, desfilando 36 anos como Mestre Sala obtendo notas 10 consecutivas. por Fábio

Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!