domingo, 19 de dezembro de 2010

E deu ecos: Roberto Silva e seu Jornal da morte




Mês passado a violência tomou conta das ruas do Rio de Janeiro, onde se concebido o citado Jornal da Morte, com certeza sua primeira página estaria com fotos deste estado. Mas enganasse quem acredita que a violência é só carioca, afinal ela esta inserida não só nas dimensões do Rio, mas também em cotidianos menores como nossas casas, escolas, ruas e avenidas. E lá vem a magia do samba, falando e retratando com dolencia e alegria tais cotidianos tão tristes, buscando a reflexão. Na letra abaixo Miguel Gustavo retrata musicalmente tais fatos, onde a violência encontrasse contida; violencia esta hoje tão despercebida e camuflada que infelizmente passa a se tornar coadjuvante de nosso próprio cotidiano.Na voz de Roberto Sila e Casuarina, a música Jornal da Morte que com certeza deu Ecos.




Jornal da Morte
Composição: Miguel Gustavo


Vejam só este jornal
Verdadeiro hospital
Porta voz do bangue-bangue
Da polícia central

Treslocada, semi-nua
Jogou-se do oitavo andar
Porque o noivo não comprava
Maconha pra ela fumar

Sangue, sangue, sangue

Um escândalo amoroso
Com retratos do casal
Um bicheiro assassinado
Em decúbito dorsal

Cada página é um grito
Um homem caiu no mangue
Só falta alguém espremer o
jornal
Para sair

Sangue. sangue, sangue
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!