quarta-feira, 27 de abril de 2011

Papo de Teleco Teco: Para vocês o disco S. P. em retalhos, mostrando o samba que S. P. tem


Já que o papo desta semana esta ligado a projetos e o samba de São Paulo queria apresentar à vocês o São Paulo em Retalhos. Comandado por Jr. do Peruche, o projeto surgiu de rodas informais na casa de Dona Paula, mãe deste pesquisador de samba. Variando entre sambistas conhecidos na mídia e alguns que infelizmente ela faz questão de esquecer, S. P. em Retalhos já colheu vários frutos nesta trajetória, como coletâneas impressionantes de vários sambistas paulistanos; materiais de vídeo e agora até um programa de rádio com data de estréia marcada para o mês de julho deste ano. Um dos diferenciais do S. P. em retalhos esta na valorização do sambista paulista e claro no resgate de belíssimos trabalhos até então esquecidos do grande público. Lembro da polêmica sobre São Paulo ser o túmulo do samba e a resposta muito bem dada na música de Leci Brandão intitulada "Me perdoa poeta" :



"Poeta falou
Que São Paulo enterrou o samba
Que não tinha gente bamba
e não entendi porque
fui a barra funda
fui la no bixiga
fui la na nene
me perdoa poeta, mas descordo de você
(mas é que eu fui la)
a barra funda
fui la no bixiga
fui la na nene
me perdoa poeta, mas descordo de você

Zeca da casa verde, Geraldo filme talisma
Os Demonios da garoa, o saudoso Adoniram
botecao ao bar da beth, o guru esta demais
JB tem só pagode ou então Originais "


E como disse Leci na letra acima, devagar as coisas na Paulicéia Desvairada e no interior de São Paulo vão tomando forma através de projetos da grandeza do S. P. Retalhos, que além de se dedicar a tudo isto, também possui um dos maiores acervos particulares do samba paulistano com aproximadamente 400 mil fotos, veiculo de passeio, instrumentos com mais de 80 anos do batuque, samba rural e samba feito na região urbana, aproximadamente 3000 mil letras de musicas inéditas, documentos de escolas de samba em atividade e já extintas, mais de 6000 mil discos de vinil entre sambas e musicas regionais, capital, interior e litoral do estado, mais de 300 livros e aproximadamente 500 fitas de VHS de desfiles de carnaval. Atualmente vários sambistas da nova e saudosa geração gravaram várias músicas para os discos deste projeto, inclusive até com integrantes do Xô Segunda, como se deu com nosso talentoso Saulo Ligo e a revelação da voz e percussão Xeina Barros. Abaixo um trabalho de Valdir Cachoeira, o qual tive oportunidade de conversar algumas vezes pessoalmente e me emocionar com suas histórias. Vida longa ao samba paulista, o "cúmulo do samba" como citou Oswaldinho da Cuíca.




Participação de compositores como: Thobias Da Vai-Vai, Velha Guarda Do Nenê De Vila Matilde, Valdir Cachoeira, Marco Antonio, Faet Ramos, Boca Nervosa, Eduardo Preto, Osvaldinho Da Cuíca, Pedrinho FM, Dorinho Marques, Wilson Passarinho, Mauro Pirata, Maurinho Da Mazzei, Nilton Da Flor, Zildão, Bernadete, Tianinha Santos, Luciana Bissete, Kavas, Yrapoan Junior, Ana Elisa Camargos, Cecel Da Rua C, Silvia Poeta, Conceição Rodrigues e muitos outros


Atenção: Este link encontra-se na Internet através de blogs e não é de responsabilidade do Ecos do Teleco Teco devendo ser deletado de seu micro no período máximo de 24 horas.Recomendamos que adquiram o cd na intenet através de sites como http://www.buscape.com.br/ ou similares preservando os direitos do ator)
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!