terça-feira, 15 de novembro de 2011

Diário de bordo: Debutando na capital do samba, o Rio de Janeiro continua lindo.


Sempre tive um receio de visitar a cidade do Rio de Janeiro; anuncios de violência desmedida, criminalidade e coisas do tipo me causavam um certo medo de não sei o que. Talvez tenha sido por isto que tenha "comido" o Rio pelas bordas afinal já fui inúmeras vezes a Parati, Angra, Trindade, Ilha Grande, Buzios e outras cidades litorâneas mas a capital ainda me causava um ar de mistério. E eis que depois de 13 anos vivendo na correria, digamos que a "ociosidade" momentânea me proporcionou algo irrecusável, me levando a passar alguns dias na casa do agora grande parceiro e chará Fábio Tietê juntamente com um outro conterrâneo viciado em samba como eu. Realmente o Rio continua lindo, respirando muito mais que a criminalidade a qual os jornais tentam adjetivar de forma uníssona a sua beleza boêmia. Um Rio que ainda consegue aproximar músicos a público de uma forma que poucas vezes consegui sentir até mesmo nos sambas de minha cidade. Saudades do bar Carioca da Gema, onde conversamos com gênios como Toninho Geraes, Esculeba e mestre Trambique, sem mencionar a simpatica Tereza Cristina a qual pude compartilhar uma agradável conversa sobre a Velha Guarda da Mangueira e Helton Medeiros, em uma verdadeira sensação de um sonho realizado. E do alto de minha janela em Copacabana podia ver todos os dias o Cristo de braços abertos abençoando a maravilhosa semana recheada a ótimos sambas que tivemos por lá.
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!