quarta-feira, 12 de maio de 2010

Papo de Teleco Teco: Clementina de Jesus nossa homenageada de abril e seus trabalhos



Embora tenha iniciado sua vida artística tardiamente Clementina de Jesus foi um daqueles seres que seduziam todas as classes sociais. Rainha Ginga ou Quelé, este era o jeito que era tratada pelas pessoas que estavam a sua volta; termo mais do que cabível a imponência de seu nome e de seu caráter como figura histórica. Tratada por mãe, a ternura desta negra velha sorridente envolvia todos que se intitulavam seus filhos que quando evocados por sua voz, diziam ser imediatamente transportados para a África. Devido a sua criação, Clementina dominava muitos cânticos e cantigas, ligados aos africanos remanescentes em nosso solo brasileiro, onde além de sambas, interpretava ritmos como corimás, jongos, cantos de trabalho criando e resgatando várias conexões afro-brasileiras. Clementina foi descoberta pelo músico e compositor Hermínio Bello de Carvalho, o fato se deu no ano de 1963 quando o mesmo que a ouvira anteriormente numa festa convidou a subir ao palco do Teatro Jovem, em Botafogo,abrindo o movimento Menestrel, que unia os eruditos aos populares. No vídeo abaixo Herminio destaca em forma de música e comoção a importância desta alma afro brasileira, chamada Clementina, acompanhada ao fundo de ninguem menos que o Grupo Fundo de Quintal em um especial para a rede Globo de Televisão.

O sucesso foi tão grande que Hermínio criou ainda mais projetos como omusical Rosas deOuro. Nele, Clementina contracenava com a cantora de Teatro de Revista, Araci Cortes e tinha como acompanhantes jovens talentos, como Paulinho da Viola, Elton Medeiros e Nelson Sargento, entre outros. Clementina é fruto de um tempo onde ainda se era possível ver o talento que estava intríseco na alma das pessoas, um encantamento natural que transendia idade, raça ou aparência física, muito contrário aos tempos atuais, onde alguns novos ícones camuflados somente por uma boa aparência e talento duvidoso alicerçam nossa cultura a um caráter de produções vagas e estáticas. No segundo vídeo provando a sinergia a qual sempre esteve envolvida, juntando o contemporâneo, o erudito e muita versatilidade, vemos mais uma vez Clementina com Tete Espínola em outro vídeo narrado também por Hermínio Bello de Carvalho. Abaixo para vocês dois discos de nossa rainha Ginga, afinal Clementina além ser homenageada do Ecos de abril, também é Papo de Teleco Teco. por Crâneo


Clementina de Jesus 1966 - Clementina de Jesus







Clementina de Jesus 1970 - Clementina Cadê Você








Clementina de Jesus 1973 - Marinheiro Só









Atenção: Este link encontra-se na Internet através de blogs e não é de responsabilidade do Ecos do Teleco Teco devendo ser deletado de seu micro no período máximo de 24 horas.Recomendamos que adquiram o cd na intenet através de sites como http://www.buscape.com.br/ ou similares preservando os direitos do ator)
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!