quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Diário de Bordo 4 - Debutando em terras cariocas: A Lapa dos mil sons


A cobradora anuncia: Fica logo ali passando o Arco; e assim chegamos na Lapa. Boêmia e escandalosa a Lapa exala mil sons. "De cara", bem abaixo de seus arcos uma roda de Jongo, com as mais belas jongueiras que em passos rítmicos celebravam a cultura negra, observadas de perto por seus mestres. Cervejas baratas, espetinhos de vários tipos com cheiros suculentos brindavam a noite e remetiam o clima de bons botequins, fazendo até quem nunca tinha visto a eloquência daquelas batucadas jongueiras se embalar. Forró, samba, choro, jongo, funk e até groove, tudo acontece na Lapa. Nos aventuramos a sair de seu principal condutor e embalados por sons fomos nos demos com uma espécie de baile Funk bem vizinho um bar que se aquecia para uma Jam Session com vários instrumentistas pois é, tudo acontece na Lapa. Atores famosos, universitários e boêmios embriagados pela noite contavam suas histórias nos bares lotados em um tilintar de copos que mais parecia uma orquestra etílica, tudo acontece na Lapa. Um congresso de estudantes com uma banda de groove e samba funk embalava garotos que dançavam hip hop em um protestos por melhorias musicado, tudo acontece na Lapa. Nos intervalos de seus shows a fina flôr da música tomava uma "fresca" nas casas onde os músicos se apresentavam dando até para falar um oi como velhos amigos, mesmo sem nunca os ter conhecido; realmente foram noites boas, de mil sons, afinal tudo acontece na Lapa.

Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

A música pulsa como um Eco, estes sons meus amigos são os nossos teleco tecos que vibrantes pulsam igual nossos corações, valeu o comentário!!